terça-feira, 15 de novembro de 2011

Sugestão de Avaliação Individual

Escola Municipal de Ensino Fundamental Senador  Teotônio Vilela
                                                     I Avaliação Geral de Lingua Portuguesa - 2011
Nome:........................................................................................................................ Data:............................................
Professora: Regina Costa      
LEITURA
TEXTO I
    A FLORESTA DO CONTRÁRIO                                                      
      Todas as florestas existem antes dos homens. Elas estão lá e então o homem chega, vai destruindo, derruba as árvores, começa a construir prédios, casas, tudo com muito tijolo e concreto. E poluição também. Mas esta floresta aconteceu o contrário. O que havia antes era uma idade dos homens, dessas bem poluídas, feia, suja, meio neurótica. Então as árvores foram chegando, ocupando novamente o espaço, conseguiram expulsar toda aquela sujeira e se instalaram no lugar. É o que poderia se chamar de vingança da natureza- foi assim que terminou o seu relato o amigo beija-flor. Por isso ele estava tão feliz, beijocando todas as flores- aliás, um colibri bem assanhado, passava flor por ali, ele já sapecava um beijão. Agora o Nan havia entendido por que uma ou outra árvore tinha parede por dentro, e ele achou bem melhor assim. Algumas árvores chegaram a engolir casas inteiras. Era um lugar muito bonito, gostoso de ficar. Só que Nan não podia, precisava partir sem demora. Foi se despedir do colibri, mas ele já estava namorando apertado outra florzinha, era melhor não atrapalhar.
                                                                     ( Fragmento do livro “Em busca do tesouro de Magritte”)
TEXTO II
CIMENTO ARMADO
Batem estacas no terreno morto.
No terrreno morto surge vida nova.
As goiabeiras do velho parque
E os roseirais, abandonados,
Serão cortados
E derrubados.
Um prédio novo de dez andares,
Frio e cinzento
Terá seu corpo de cimento armado
Enraizado no velho parque
De goiabeiras
De roseiras.

Batem estacas no terreno morto
Século  vinte...
Vida de aço...
Cimento armado!
Batem estacas
No prédio novo de dez andares,
Terraços tristes
Pássaros presos,
Rosas suspensas
Flores da vida,
Rosas de dor.
INTERPRETAÇÃO DO TEXTO
1)      Assinale a opção correta.
a)      Os autores dos dois textos falam sobre o mesmo assunto. O assunto abordado nos dois textos é:
(    )  A devastação e destruição da natureza causada pelo homem.
(    )  A preservação dos recursos naturais.
(    )  Nenhuma das alternativas acima.

b)      Apesar de abordarem o mesmo assunto, os resultados são diferentes em cada texto, por que:
(    ) no primeiro texto a natureza saiu vitoriosa ao recuperar seu espaço outrora perdido, enquanto no segundo texto os pássaros e as rosas sofrem a consequência da construção de mais um prédio de dez andares.
(    ) no segundo texto a natureza saiu vitoriosa ao recuperar seu espaço outrora perdido, enquanto no primeiro texto os pássaros e as rosas sofrem a consequência da construção de mais um prédio de dez andares.

c)       Para “expulsar toda aquela sujeira” e se instalarem no seu lugar, as árvores tiveram que lutar. A parte do texto que confirma o fato de certas árvores conservarem os sinais de luta é:
(    ) “Todas as florestas existem antes dos homens”.
(    ) “Algumas árvores chegaram a engolir casas inteiras, por isso uma ou outra árvore tinha parede por dentro”.

d)      No texto II o poeta fala do prédio como se ele fosse uma pessoa em:
(    ) “Um prédio de dez andares”.
(    ) “Terá seu corpo de cimento armado”.

e)      O poeta se refere a pássaros presos, terraços tristes, por que:
(    ) os terraços são pintados de preto e cinza.
(    ) os terraços ocuparam o espaço da vegetação, a alegria dos animais e com o agravante de que nas cidades, as pessoas costumam prender os pássaros nas gaiol

      2. Escreva CERTO ou ERRADO de acordo com os  textos:
       a) No texto II o autor utiliza a palavra “enraizado” como se o prédio fosse uma árvore. (...............................)
       b) As goiabeiras e os roseirais foram conservadas após a construção de um novo prédio. (.............................)
       c) No text I a história é fato real, enquanto que no text II é imaginário, pois jamais destruiram a natureza para construir um prédio. (................................................)
       d) No texto um, ao tomar a cidade e devolver a vida aos seres da floresta, as árvores consideram uma vingança da natureza. (...................................................)
       e) Os pássaros do texto II eram tão felizes quanto os pássaros do texto I.


    GRAMÁTICA
1.       Em que conjunto a letra X representa o mesmo som?
a)      Tóxico – taxativo
b)      Enxame – inexaurível
c)       Intoxicado – exceto
d)      Têxtil – extase
     
2.       Não são paroxítonas as palavras:
a)      Salada – varanda- tarde
b)      Leita-escada-senhora
c)       Violetas-brigas-mesa
d)      Amanhã-última-perdão
e)      Verdade-presença-janela

3.       Aponte o único conjunto onde há erro de divisão silábica:
a)      Flui-do, sa-guão, digno
b)      Cir-cuns-cre-ver, trans-cen-den-tal, trans-pa-ren-te
c)       Ins-tru-ir, na-te-pas-as-do, se-cre-ta-ri-a
d)      Co-o-pe-rar, dis-tân-cia, bi-as-vô




4.       Assinalar a alternativa em que todas as palavras estão separadas corretamenta:
a)      Mas-as, i-gu-al, miú-da
b)      Cons-truir, igual, cri-ei
c)       Cri-ei, as-pec-to, mi-ú-da
d)      Me-da-lhões, pás-as-ros, es-ta-ções

5.       De acordo com a separação silábica, qual o grupo de palavras abaixo está totalmente correto?
a)      As-si-na-da, chei-ro, ma-de-i-ra
b)      Ex-ces-so, cac-to, des-cer
c)       Avi-so, per-spi-caz, em-pa-da, pa-i-nei-ra
d)      Extra-or-di-ná-rio, ve-lha, fel-ds-pa-tomi-nha, in-fân-cia
e)       

6.       Devem ser acentuadas todas as palavras da opção:
a)      Taxi-juri-gas
b)      Ritmo-amor-lapis
c)       Chines-ruim-jovem
d)      Juriti-gratis-traz
e)      Açucar-abacaxi-molestia

7.       A única alternativa em que nenhuma palavra deve ser acentuada graficamente é:
a)      Preto-órgão-seres
b)      Atras-medo-garoa
c)       Item-nuvem-erro
d)      Juri-governo-odio
e)      Tatu-cores-carater

8.       Em que conjunto todas as palavras são oxítonas?
a)      Exame-xale-exceção
b)      Chapa-cachecol-próximo
c)       Naris-bombom-urubu
d)      Caju-caderno-lápis
e)      Trouxe-texto-léxico

9.       Assinale o conjunto em que todas as palavras NÃO são substantivos comuns de dois gêneros:
a)      Estudante, dentista, motorista
b)      Cadáver, mulher, sabiá
c)       Indígena, colega, pianista
d)      Jornalista, estudante, artista

10.   Assinale as sentenças verdadeiras:
a)      Todas as proparoxítonas são acentuadas.
b)      As paroxítonas terminadas em a, e ou o são acentuadas.
c)       Nem todas as proparoxítonas são acentuadas.

11.   Complete as frases com : por quê, porque ou porquê.
a)      ____________________não foi à faculdade?
b)      Não fui a faculdade__________________________________ não quis.
c)       Eu queria saber o_________________________________de você faltar tanto às aulas.
d)      Você está gritando________________________________ ?
e)      Eu me preocupo com você. ________________________, não posso?
f)       Não se preocupe tanto______________________ já sou um homen capaz e responsável.

Texto III
  A causa da chuva 
 Não chovia há muitos e muitos meses, de modo que os animais ficaram inquietos. Uns diziam que ia chover logo, outros diziam que ainda ia demorar. Mas não chegavam a uma conclusão. 
- Chove só quando a água cai do telhado de meu galinheiro - esclareceu a galinha. 
  -  Ora, que bobagem! - disse o sapo de dentro da lagoa. - Chove quando a água da lagoa começa a borbulhar suas gotinhas.
   - Como assim? - disse a lebre. - Está visto que só chove quando as folhas das árvores começam a deixar cair às gotas d'água que têm dentro. 
 Nesse momento começou a chover.
      -  Viram? - gritou a galinha. - O telhado de meu galinheiro está pingando. Isso é chuva! 
       -  Ora, não vê que a chuva é a água da lagoa borbulhando? - disse o sapo. 
- Mas, como assim? - tornou a lebre - Parecem cegos! Não vêem que a água cai das folhas das árvores?
                                                                                                                          (Millôr Fernandes )

QUESTÃO 1 
O trecho do texto que indica um fato é
(A) “...começou a chover.”
(B) “... diziam que ia demorar...” 
(C) “... que bobagem!”
(D) “... diziam que ia chover...” 

QUESTÃO 2 
A ideia central do texto é apresentar uma discussão  sobre
(A) o telhado do galinheiro.
(B) a chuva.
(C) a água da lagoa.
(D) as folhas das árvores.
  
 QUESTÃO 3  
A inquietação dos animais tem como causa
(A) a necessidade de águas nas árvores do lugar.
(B) a expectativa de chuva no verão na lagoa.
(C) a ausência de água na lagoa onde moravam.
(D) a falta de chuvas no lugar onde moravam. 

 Texto IV
 Caverna 
Houve um dia, no começo do mundo em que o homem ainda não sabia construir sua casa.
Então disputava a caverna com bichos e era aí sua morada.
Deixou para nós seus sinais, desenhos desse mundo muito antigo.
Animais, caçadas, danças, misteriosos rituais.
Que sinais  deixaremos nós para o homem do futuro? 
                                                                 ( Roseana Murray. Casas. Belo Horizonte: Formato, 2004. )

        
QUESTÃO 4 
No último verso da segunda estrofe: ”e era aí  sua morada”, a expressão em destaque pode ser substituída por:
(A) sua casa.
(B) o homem.
(C) do mundo.
(D) com bichos.

Texto V
Chegou à festa junina!
                                  (Fragmentos)
Antes da era cristã, alguns povos antigos - persas, egípcios, celtas, sírios, bascos, sardenhos, bretões e sumérios - faziam rituais para invocar a fertilidade de suas plantações.
Eles acendiam fogueiras para espantar os maus espíritos e desejavam obter uma boa safra.
Isso acontecia em junho, época em que se inicia o verão no hemisfério norte. Esses festejos se perpetuaram. Mais tarde, passaram a ser seguidos não só pelos camponeses, mas também pelos homens da cidade na Europa. No entanto, os rituais eram considerados pagãos pela Igreja Católica. Como não era possível  dar fim a uma tradição tão antiga, a Igreja adaptou essa celebração a seu calendário de festividades no século 4. Estava iniciada a Festa Joanina, que recebeu este nome em homenagem a São João Batista, um dos santos mais importantes celebrados em junho - os outros são Santo Antônio (no dia 13) e São Pedro (no dia 29).
                                              (http://www.cienciahoje.uol.com.br)

QUESTÃO 5
A igreja adaptou os rituais a seu calendário de festividades por que:
(A) deveria espantar os bons espíritos.    
(B) queria perpetuar  os festejos  na Europa. 
(C) desejava manter os rituais no hemisfério norte. 
(D) seria muito difícil  romper com as antigas tradições. 

QUESTÃO 6 
Em “Esses festejos se perpetuaram.”, o trecho que  mantém o sentido da expressão  em destaque é:
(A) ...  “persas, egípcios, celtas, sírios, bascos, sardenhos, bretões e sumérios - faziam rituais para invocar a fertilidade de suas plantações.”
(B)  “Mais tarde, passaram a ser seguidos não só pelos camponeses, mas também pelos homens da cidade na Europa.”
(C)  “Isso acontecia em junho, época em que se inicia o verão no hemisfério norte.”
(D)  “Estava iniciada a Festa Joanina, que recebeu este nome em homenagem a São João Batista, ...”

  Texto  VI
  Viagem de Bonde
                                                                  (Fragmentos)
Era o Bonde Engenho de Dentro, ali na Praça Quinze. Vinha cheio, mas como diz, empurrando sempre encaixa. O que provou ser otimismo, porque talvez encaixasse metade ou um quarto de pessoa magra, e a alentada senhora que se guindou ao alto estribo e enfrentou a plataforma traseira junto com um bombeiro e outros amáveis soldados, dela talvez coubesse um oitavo. Assim mesmo, e isso prova bem a favor da elasticidade dos corpos gordos, ela conseguiu se insinuar, ou antes, encaixar. E tratava de acomodar-se gingando os ombros e os quadris à direita e à esquerda, quando o bonde parou em outro poste,  e o soldado repetiu o tal slogan do encaixe. E foi subindo − logo quem! − uma baiana dos seus noventa quilos
... E aquela baiana pesava seus noventa quilos, mas  era nua, com licença da palavra, pois com tanta saia engomada e mais os balangandãs, chegava mesmo era aos cem...
(O Melhor da crônica brasileira. Raquel de Queiroz/Viagem de Bonde. Editora Olympio. Rio de Janeiro/1980.p.53).

QUESTÃO 7  
O trecho que apresenta característica de humor é 
  (A) “Era o Bonde Engenho de Dentro, ali na Praça Quinze. Vinha cheio, mas como diz, ... “    
(B) “Assim mesmo, e isso prova bem a favor da elasticidade dos corpos gordos, ela conseguiu se insinuar, ou antes, encaixar. “ 
(C) “E aquela baiana pesava seus noventa quilos, mas era nua, com licença da palavra, pois com tanta saia engomada e mais os balangandãs, chegava mesmo era aos cem... “ 
(D) “quando o bonde parou em outro poste, o soldado repetiu o tal slogan do encaixe. “ 
Texto V II
                                              Paratodos 
                                          Chico Buarque 
O meu pai era paulista 
Meu avô, pernambucano 
O meu bisavô, mineiro 
Meu tataravô, baiano 
Meu maestro soberano 
Foi Antônio Brasileiro 
Foi Antônio Brasileiro 
Quem soprou esta toada 
Que cobri de redondilhas 
Pra seguir minha jornada 
E com a vista enevoada 
Ver o inferno e maravilhas 
Nessas tortuosas trilhas 
A viola me redime 
Creia ilustre cavalheiro 
Contra fel, moléstia e crime 
Use Dorival Caymmi 
Vá de Jackson do Pandeiro 
Vi cidades, vi dinheiro 
Bandoleiros, vi hospícios 
Moças feito passarinho 
Avoando de edifícios 
Fume Ary, cheire Vinícius 
Beba Nelson Cavaquinho 
Para um coração mesquinho 
Contra a solidão agreste 
Luiz Gonzaga é tiro certo 
Pixinguinha é inconteste 
Tome Noel, Cartola, Orestes. 
Caetano e João Gilberto 
Viva Erasmo, Ben, Roberto 
Gil e Hermeto, palmas para 
Todos os instrumentistas 
Salve Edu, Bituca, Nara 
Gal, Bethânia, Rita, Clara 
Evoé, jovens à vista  (...). 

QUESTÃO 8 
A letra de música do Chico Buarque de Holanda cita vários  músicos e compositores  do cenário musical brasileiro.  Este desfile de nomes famosos revela ao leitor 
(A) o desejo de divulgar  peças musicais. 
(B) o excesso de compositores na música brasileira.
(C) a comparação entre  os diferentes músicos brasileiros. 
(D) a valorização da música brasileira.

Texto VIII
Conversando com meu diário
(...) Diário é muito formal, eu vou te chamar de Di, afinal de contas, é superfofo você ter “apelidinhos” para seus amigos mais íntimos. E com você, Di, eu vou me abrir completamente, tenho certeza que você  vai ser meu grande amigo e que você vai me compreender sempre.
Coisa difícil, pois raramente as pessoas compreendem os adolescentes. Nem pai nem mãe compreendem às vezes. Minha mãe então,  nem se fala... É a incompreensão em pessoa. Bom, é verdade que eu também às vezes falo demais e minha mãe não é tão sinistra quanto eu falo, tem mães muito piores por aí. O que eu diria da minha mãe é que ela é mãe. Aquela coisa de “não sai sem arrumar o quarto”, “já estudou?”, “se não fez isso vai ficar de castigo”... Pensando bem, na boa, estou tentando aliviar o lado dela, mas não dá não... (...)
                                                                        Referência Bibliográfica 
PERISSÉ, Heloísa. O diário de Tati. Rio de Janeiro: Objetiva, 2003, p. 5. Adaptado 

QUESTÃO 9 
Ao falar sobre a mãe, pode-se notar que o narrador demonstra o seguinte sentimento: 
(A)  compreensão.
(B)  entusiasmo.
(C)  aborrecimento.
(D) saudade.  Texto  VII
                                                                                          (http://www.meninomaluquinho.com.br)
QUESTÃO 10 
O fato que justifica a fala da menina é 
(A) os casais  estarem dançando em pé. 
(B) o menino maluquinho estar dançando sentado no cavalo.
(C) a menina estar segurando a mão do maluquinho.
(D) o cavalo  estar com a pata mal colocada no chão.   

Texto IX
Jacaré lava o pé 
                                                             (Fragmentos)  
                                                      Eloí Elizabet Bocheco
O jacaré esfrega o pé 
com água e sabão 
Enxágua e repete 
trinta vezes a operação 
Se acha uma craquinha
começa tudo outra vez. 
Imagine a conta d'água 
no fim do mês!

 Texto X 
 Um minicrocodilo, uma grande descoberta
                                                                     (Fragmentos)
Se comparado aos seus parentes atuais, ele é pequeno. Porém, para os cientistas que estudam animais pré-históricos, saber que ele viveu há 90 milhões de anos onde hoje está o Brasil é uma grande descoberta. Sabe de quem estamos falando? Do  Adamantinasuchus navae, um crocodilo terrestre muito diferente das espécies pré-históricas desse tipo de réptil descobertas até hoje. Seus fósseis foram apresentados nesta semana à imprensa.
                                                            (http://www.cienciahoje.uol.com.br)




QUESTÃO 11
A leitura dos textos permite concluir que
(A) o texto VIII discute  a fome do jacaré. O texto XI questiona os estudos dos animais pré-históricos.
(B) o texto VIII descreve poeticamente a vida do jacaré. O texto XI analisa  a extinção de um famoso réptil.
(C) o texto VIII escreve em versos, bem-humorados, o banho do jacaré. O texto XI informa sobre a descoberta de um pequeno crocodilo.
(D) o texto VIII informa em estrofes, bem-animadas, o calor do jacaré. O texto XI afirma com certeza o fim das pesquisas pré-históricas.

 Texto XI
Pau-de-Arara
Quando eu vim do sertão, 
seu môço, do meu Bodocó 
A malota era um saco 
e o cadeado era um nó 
Só trazia a coragem e a cara 
Viajando num pau-de-arara 
Eu penei, mas aqui cheguei (bis) 
Trouxe um triângulo, no matolão 
Trouxe um gonguê, no matolão 
Trouxe a zabumba dentro do matolão 
Xóte, maracatu e baião 
Tudo isso eu trouxe no meu matolão
Moraes, Guio de & Gonzaga, Luiz. Pau-de-arara.
http://vagalume.uol.com.br/luiz-gonzaga/pau-de-arara.html
Glossário:
Bodocó: município de Pernanbuco
Malota: mala pequena
Gongá: gonguê; agogô, instrumento musical.
Matolão: malotão 

QUESTÃO 12
As expressões que reforçam a origem do eu poético são
(A)  “ ... eu vim do sertão, “ /  “... do meu Bodocó”
(B)  “   ... a  coragem e a casa “ / “ ... aqui cheguei” 
(C)  “ Eu penei,...” /  “Trouxe um triângulo”. 
(D)  “Seu moço, “/ ”Tudo isso”. 

 Texto XII 
 Quando crescer, vou ser... ambientalista!
                                                           (Fragmento)
Efeito estufa, destruição da camada de ozônio, poluição, desmatamento, aquecimento global... Você já ouviu alguma dessas expressões? Ora, que pergunta!
É claro que sim. Afinal de contas, há alguns anos esses temas ganham cada vez mais destaque nos meios de comunicação. Jornais, revistas, tevês, Internet chamam a atenção para as mudanças que estão ocorrendo no meio ambiente, especialmente sobre os impactos negativos das ações do homem. E quem é que fala desses assuntos? Quase sempre, os ambientalistas.  Ambientalistas são todos aqueles que transformam em ações o ideal de que a relação entre as pessoas e o meio ambiente deve ser o menos predatória possível.
                                            (http://www.cienciahoje.ul.com.br)

QUESTÃO 13 
O uso das reticências na segunda linha indica para o leitor  que  há 
(A)  algumas  expressões que não devem ser apresentadas.
(B)  várias transformações a serem feitas no meio ambiente. 
(C)  outras expressões  que se destacam no tema sobre meio ambiente.
(D)  muitas dúvidas sobre as situações restritas ao meio ambiente.  





Texto XIII
 Onde tem bruxa tem fada
                                                          (fragmento)

Um dia, Maria do céu cansou de ser ideia.
Com as nuvens, costurou um vestido.
Pediu emprestados os sapatos de um anjo.
Arrancou sua estrela e colou na ponta de um
Pedaço de raio de sol.
Com retalhos de papel de seda – resto de
Papagaio solto de linha – construiu seu chapéu.
E Maria, idéia no céu, virou fada!
Isso faz poucos dias...  (...) 
QUEIRÓS, Bartolomeu Campos. Onde tem bruxa tem fada... In.: Historinhas pescadas. São Paulo: Moderna, 2001.

QUESTÃO 14 
As expressões  “ Um dia”   e “ Isso faz poucos dias”   marcam no texto o período de:
(A) agitação que caracteriza a personagem descrita.
(B) tempo em que as ações da personagem  se realizaram. 
(C) dúvida  na transformação realizada pela personagem.
(D) indefinição na forma de agir na história.   

   Texto XIV
     O Bicho Formigueiro

 Cada formiga faz um pouco do trabalho para manter o formigueiro funcionando.
 BRAÇOS: As soldadas são formigas maiores e mais fortes. Diante de qualquer ameaça avisam as demais e dilaceram o inimigo com mordidas.
SISTEMA IMUNOLÓLOGICO: As formigas produzem uma substância  bactericida que mata todo tipo de germe.
CIRCULAÇÃO: Os corredores do formigueiro permitem o transporte de nutrientes e ajudam a manter a temperatura num nível mais agradável.
ESTÔMAGO: Algumas operárias não digerem alimentos sólidos. As larvas recebem folhas picadas e as regurgitam como substância (...).
                                  Almanaque Super Interessante. 2003. P. 28 – Adaptado.

QUESTÃO 15
  As palavras que estabelecem uma ligação entre as partes do texto, mantendo o sentido da expressão “cada formiga faz um pouco do trabalho”   são:
(A)  avisam,  produzem, permitem, digerem.    
(B)  fortes, inimigo, germe, transporte, substância.
(C)  as soldadas, diante de, as formigas,  os corredores.
(D)  braços, sistema imunológico, circulação, estômago

 1) Leia com atenção e responda:
                              O Pavão
O Pavão é um leque japonês
Bordado em arco- íris
E caleidoscópio.
(Ronald Claver). In: Ferreira Gullar e outros.
Bichos de versos. São Paulo: Quinteto,
2003.p.11)
O Pavão é comparado com:
(A) um objeto de grande valor;
(B) um leque japonês;
(C) um instrumento de medir a velocidade do vento;
(D) um ventilador portátil;
(E) um porta retrato.




                                INGRESSO
                      CIRCO DOCE MEL     
         Espetáculo inédito 
Horário: 15h00min h. Data: 20/11/07.
Entrada:  R$ 5,00 criança. 
R$ 10,00 Adulto
2) O espetáculo inédito do Circo Doce Mel vai iniciar:
(A) pela manhã;
(B) à noite;
(C) à tarde;
(D) de madrugada;
(E) meio dia.
As questões 3 e 4 são de acordo com o poema abaixo
Quadras Populares
Você me mandou cantar
Pensando que eu não sabia
Pois eu sou que nem cigarra
Canto sempre todo dia.
Já fui galo, já cantei
Já fui dono do terreiro
Não me importo que outras cantem
Onde eu já cantei primeiro.
               (AZEVEDO, Ricardo. Bazar do Folclore. São Paulo: Ed.Ática, 2002.).


3) Os dois poemas falam:
(A) da arte de cantar;
(B) da quem canta desolado;
(C) de quem não sabia cantar;
(D) do galo cantor dono do terreiro;
(E) de quem canta como cigarra.

4) Na segunda quadra, o poeta assumese como galo em que tempo?
(A) nos dias de competição;
(B) no passado;
(C) no momento que ele está ausente;
(D) no futuro;
(E) no presente;

5) A palavra cantar, no dicionário, obedecendo à ordem alfabética, encontra-se na seguinte posição: 
(A) canto- cantar- cansado;
(B) cantina- cantar- canto;
(C) cano- cantar- canja;
(D) cantão- cantar- cantaria;
(E) cantor- cantar- cantão;

O garçom pergunta:
- Desejam ___ alguma coisa?
O homem diz:
- Estou satisfeito, ___ e você querida?
Ela responde:
- Não quero ___ nada, obrigada!

6) Qual a seqüência certa para preencher as lacunas?
(A) mais – mais – mas.
(B) mas – mais – mas.
(C) mais – mas – mais.
(D) mais – mas – mas.
(E) mas – mas – mais.


Muitos produtos são embalados com plástico, os alimentos recebem plastificações diversificadas, essas embalagens demoram a se decompor, por isso devemos ter cuidado para não poluir o meio ambiente com elas.

7) Identifique, no texto, o substantivo primitivo e seu derivado:
(A) embalagens – embalados;
(B) produtos – alimentos;
(C) ambiente – alimentos;
(D) plástico – plastificações;
(E) produtos- embalados;

“Em boca fechada
Não entra mosca.”
Mas também
não entra nada!
“Quem não arrisca
nunca petisca.” 
E pelo petisco
se corre o risco.
A quem me quiser
só comportada dou minha
foto emoldurada...
(Elza Beatriz. Caderno de segredos. 5. ed. São Paulo: FTD, 1994. p. 25.).





8) No último verso, a expressão “emoldurada” indica o sentido de:
(A) parada, imóvel, comportada;
(B) guardar a foto com carinho;
(C) colecionar foto;
(D) “Em boca fechada não entra mosca”;
(E) travessa, inquieta, ativa.

9) No verso: ´´só comportada dou  minha...`` (linha 10)  indica que quem fala é:
(A) um jogador;
(B) uma sereia;
(C) uma professora;
(D) um curioso;
(E) uma mulher.


















                                  Escola Municipal de Ensino Fundamental Senador  Teotônio Vilela
                                                     I Avaliação Geral de Matemática - 2011
Nome:........................................................................................................................ Data:............................................
Professora: Regina Costa      

1)      Mariana e seu irmão foram ao circo, no intervalo do espetáculo, resolveram lanchar com os R$ 5,00 que lhes restavam. Pediram: 2 sucos, 2 salgadinhos e 1 docinho.
Tabela de Preços            Suco R$ 1,20                      Salgadinho R$ 0,70
Docinho R$ 0,50               Pipoca R$ 0,50
De acordo com os preços da tabela acima marque a resposta que indica quanto Maria e seu irmão gastaram no lanche:
(A) R$ 3,70.        (B) R$ 4,50.         (C) R$ 4,30.     (D) R$ 3,20.  (E) R$3,30.

2)  Maria e seu irmão receberam de troco:
(A) R$ 0,70.    (B) R$ 1,20.    (C) R$ 0,50.    (D) R$ 1,70.      (E) R$ 1,30.

3) Luiza foi ao cinema, ao chegar lá, eram 18h e o filme já tinha começado a 30min, mesmo assim resolveu entrar para assistir. A sessão terminou às 19h30min. Qual a duração do filme a que Luiza assistiu?
(A) 02h00minh.    (B) 01h30minh.    (C) 19h30minh.       (D) 18:00h.    (E) 2:30h

4)  Quanto tempo do filme Luiza conseguiu assistir?
(A) 18:00h.    (B) 2:30h.    (C) 2:00h.    (D) 1:30h.    (E) 1:00h.

5) Pedrinho ganhou de sua tia cinco saquinhos com bolinhas de gude, cada um contendo uma dúzia. Ele resolveu abri-los e dividir por igual entre ele e dois colegas. Qual o total de bolinhas de gude que Pedrinho ganhou de sua tia?
(A) 75.    (B) 17.    (C) 120.    (D) 60.     (E) 65.

6) Com quantas bolinhas de gude cada um ficou?
(A) 12.    (B) 20.    (C) 16.     (D) 30.     (E) 25.

7)  João participou de um campeonato de judô na categoria juvenil, pesando 45,350kg. Cinco meses depois estava 3,150kg mais pesados e precisou mudar de categoria. Quanto ele estava pesando nesse período?
(A) 14,250kg
(B) 40,850kg
(C) 48,500kg
(D) 76,450kg

8)  - Para uma temporada curta, chegou à
 cidade o circo Fantasia, com palhaços, mágicos e acrobatas. O circo abrirá suas portas ao público às 9 horas e ficará aberto durante 9 horas e meia. A que horas o circo fechará?
(A) 16h30
(B) 17h30
(C) 17h45
(D) 18h30

9)  - Um garoto completou 1.960 bolinhas de gude em sua
 coleção. Esse número é composto por:
(A) 1 unidade de milhar, 9 dezenas e 6unidades.
(B) 1 unidade de milhar, 9 centenas e 6dezenas.
(C) 1 unidade de milhar, 60 unidades.
(D) 1 unidade de milhar, 90 unidades.

10)  - A professora de João pediu para ele decompor um número e ele fez da seguinte forma: 4 x 1000 + 3 x 10 + 5 x 1 Qual foi o número pedido?
(A) 4035
(B) 4305
(C) 5034
(D) 5304

11) Gilda comprou copos descartáveis de 200 mililitros, para servir refrigerantes, em sua festa de aniversário. Quantos copos ela encherá com 1 litro de refrigerante?
(A) 3
(B) 5
(C) 7
(D) 9

12)  Num pacote de balas contendo 10 unidades, o peso líquido é de 49 gramas. Em 5 pacotes teremos quantos gramas?
(A) 59
(B) 64
(C) 245
(D) 295



13)  Um fazendeiro tinha 285 bois. Comprou mais 176 bois e depois
 vendeu 85 deles. Quantos bois esse fazendeiro tem agora?
(A) 266
(B) 376
(C) 476
(D) 486

14) Uma merendeira preparou 558 pães que foram distribuídos igualmente em 18 cestas. Quantos pães foram colocados em cada cesta?
(A) 31
(B) 310
(C) 554
(D) 783

15) Uma bióloga que estuda as características gerais dos seres vivos passou um período observando baleias em alto-mar: de 5 de julho a 5 de dezembro. Baseando-se na sequência dos meses do ano, quantos meses a bióloga ficou em alto-mar estudando o comportamento das baleias?
(A) 2 meses.
(B) 3 meses.
(C) 5 meses.
(D) 6 meses.

                                       Retirado do
 site provabrasil2009. inep. gov.br

   CONHECIMENTOS GERAIS
 1) No Brasil, a maior parte da população é urbana. Com o aumento do número de fábricas, muitas pessoas deixaram o campo e foram para as cidades. A esse acontecimento chamamos de:
(A) excursão;     (B) êxodo rural;     (C) expansão;      (D) êxodo local;            (E) êxodo urbano.

2) As indústrias transformam um produto em outro. Este será consumido por pessoas ou utilizado por outras indústrias. O produto utilizado pelas indústrias chama-se de:
(A) colheita;    (B) reserva;    (C) estoque;   (D) matéria-prima;         (E) matéria-extraída.

3) No Brasil, qual o setor em que a maioria dos trabalhadores exerce suas atividades?
(A) Setor primário.  (B) Setor secundário.  (C) Setor terciário. (D) Setor monetário.    (E) Setor agrícola.

4) Trabalhavam duramente, viviam em senzalas e quando fugiam, escondiam-se nas matas e ali fundaram quilombos. O texto referese aos:
(A) imigrantes;  (B) portugueses;  (C) escravos;  (D) índios; (E) nativos.

5) Atualmente, no Brasil, a maior parte dos povos indígenas vive na Floresta Amazônica, nas terras que por lei lhes pertencem e que cabe ao Estado preservá-las. 
 De acordo com o texto, qual a região do Brasil que tem maior concentração indígena?
(A)   Sul.  (B) Norte.  (C) Centro – Oeste.  (D) Nordeste.   (E) Sudeste.

A partir de 1850, o tráfico de escravos da África para o Brasil foi proibido. A primeira saída encontrada pelos cafeicultores foi comprar escravos de outras regiões do Brasil. Essa medida, porém, não foi suficiente.  Os escravos, além de terem ficado mais caros, eram poucos para cultivar todos os cafezais. A solução encontrada pelos
                                                  Rio de Janeiro: IBGE, 2002.
                        Projeto Pitanguá: História 3. Apolinário, M. Raquel. São Paulo: Moderna, 2005.

6) O que causou a vinda dos imigrantes europeus ao Brasil para trabalharem nas plantações de café?
(A) Os europeus queriam comandar o comércio no Brasil.
(B) Porque os escravos não trabalhavam em cafezais.
(C) Os cafeicultores só confiavam em europeus.
(D) A proibição do tráfico de escravos da África para o Brasil.
(E)  Porque os escravos queriam trabalhar nos cafezais.

7) Qual foi à primeira alternativa usada pelos cafeicultores que fracassou, para manterem suas plantações?
(A) Libertar os escravos das fazendas.
(B) Trazer imigrantes europeus para trabalharem nas plantações de café.
(C) Selecionar trabalhadores qualificados.
(D) Utilizar máquinas agrícolas.
(E) Comprar escravos de outras regiões do Brasil.

CIÊNCIA
8) A água dos oceanos, mares, rios, lagos e lagoas evaporam na superfície da terra e retorna em forma de chuva, neve e granizo.
Obedecendo à ordem do ciclo da água, consideramos que:
(A) a água evapora deixa de existir;
(B) não é possível ocorrer o ciclo da água por causa da poluição;
(C) a água que evapora retorna à superfície da terra;
(D) a água permanece na atmosfera;
(E) a água não evapora por causa do calor.

9)  A poluição marinha ocorre através de lixos jogados pelo homem nas proximidades do mar, como também por vazamento de óleo ou escoamento de resíduos industriais. Precisamos agir para reduzir a poluição dos nossos oceanos.  
 Qual a solução citada no texto?
(A) Que a poluição é causada pelo homem;
(B) O lixo jogado nas proximidades do mar causa poluição;
(C) Os resíduos de óleo é o maior vilão do mar;
(D)  Precisamos agir para reduzir a poluição dos nossos oceanos;
(E) A poluição marinha ocorre através dos lixos.


10) As guloseimas dão água na boca!
Quando vemos pizza, chocolate, biscoitos... Porém elas tiram o nosso apetite e deixamos de comer outros alimentos necessários para crescermos saudáveis. Uma boa alimentação combina todos os nutrientes.
O texto acima afirma que: 
(A) é necessário comer bastantes guloseimas;
(B) não devemos comer pizza, chocolate, biscoitos;
(C) é preciso fazer dieta para crescer;
(D) o nosso apetite prejudica a saúde;
(E) uma boa alimentação combina todos os nutrientes.
























Nenhum comentário:

Postar um comentário

Semana Farroupilha